Topo
Blog Porta 23

Blog Porta 23

Brasileiro passa mais de 3 horas e meia por dia em redes sociais

Cristina De Luca

05/02/2018 23h13

Os dados são do relatório "2018 Global Digital",  da  We Are Social e da Hootsuite. O Brasil está entre os três países do mundo no qual a população passa, em média, mais de 9 horas do dia navegando na Internet. E é um dos dois únicos países onde o tempo diário gasto nas redes sociais supera 3 horas e meia. Portanto, bem acima da média mundial nesses dois quesitos.

Os dados mais recentes do GlobalWebIndex mostram que o usuário médio global da internet gasta hoje cerca de 6 horas por dia usando dispositivos e serviços alimentados pela rede.

Tem mais. A taxa de penetração do uso da Internet na população brasileira é de 66%, enquanto a média global é de 53%, puxada para baixo pelas taxas  registradas em grande parte da África Central e do Sul da Ásia. Mas essas regiões também estão vendo o crescimento mais rápido na adoção da internet.

Além disso, das 9 horas de acesso diário à Internet, 4 horas e 21 minutos são através das conexões móveis.

A internet móvel vem, aos poucos, se tornando um padrão em várias partes do mundo.O número de usuários móveis únicos em todo o mundo aumentou em mais de 4% ano-a-ano.  O país com as velocidades médias mais rápidas quando se fala em acesso por meio de redes móveis é a Noruega, com 61,2 Mbps — logo atrás estão Malta (54,4 Mbps) e Holanda (54,2 Mbps). Na outra ponta, com as menores velocidades, estão Bangladesh (5,2 Mbps) e Líbia e Iraque (ambos com 4,2 Mbps).

Vale ressaltar que esses dados sobre conexões móveis são apenas para uso na web. Os últimos dados da App Annie mostram que as pessoas agora passam 7 vezes mais tempo usando aplicativos móveis em comparação a navegação  web móvel, de modo que a "quota de internet" do celular é provavelmente muito maior do que os números acima sugerem.

Abaixo da média
Entre as poucas métricas que o Brasil aparece abaixo da média está a de crescimento do número de usuários das redes sociais. No mundo, quase 1 milhão de pessoas começaram a usar as mídias sociais pela primeira vez todos os dias em 2017 – isso equivale a mais de 11 novos usuários a cada segundo. A média global de crescimento foi de 13%. Quase o dobro da taxa de crescimento registrada no Brasil, de 7%.

A outra métrica na qual estamos em desvantagem é o percentual da população que compra online no país: 45%. Distante da média global, acima de 50%, e muito mais dos países líderes nesse segmento: Reino Unido (78%), Coreia do Sul (74%), Alemanha (74%), Suécia (69%) e Estados Unidos (69%).

E deixamos a desejar também no quesito velocidade média de acesso: 17,9Mbps é a média considerando o download na internet fixa, contra a média global de 40,7Mbps. Mesmo assim, não figuramos entre as 10 melhores, tampouco entre as 10 piores.

Nas conexões móveis não é muito diferente. Nossas conexões são de 16,4Mbps, enquanto a média global já é de 21,3 Mpbs.

Dados globais

  • O número de usuários de internet em 2018 é de 4,021 bilhões , um aumento de 7% ano-a-ano
  • O número de usuários de redes sociais em 2018 é de 3.196 bilhões , um aumento de 13% ano-a-ano
  • O número de usuários de celulares em 2018 é de 5.135 bilhões , um aumento de 4% ano-a-ano
  • O Português é o sétimo idioma mais popular na Web. Além do inglês, perde também para o francês, o alemão, o espanhol e o japonês, entre outros.

Sobre a autora

Cristina De Luca é jornalista especializada em ambiente de produção multiplataforma. É diretora da ION 89, startup de mídia com foco em transformação digital e disrupção. Foi diretora da área de conteúdo do portal Terra; editora-executiva da área de conteúdo da Globo.com; e editora-executiva da unidade de Novos Meios da Infoglobo, responsável pela criação e implantação do Globo Online. Foi colunista de tecnologia da Rádio CBN e editor-at-large das publicações do grupo IDG no Brasil. Master em Marketing pela PUC do Rio de Janeiro, é ganhadora do Prêmio Comunique-se em 2005, 2010 e 2014 na categoria Jornalista de Tecnologia.

Sobre o blog

Este blog, cujo nome faz referência à porta do protocolo Telnet, que é o protocolo de comunicação por texto sem criptografia, traz as informações mais relevantes sobre a economia digital.